Gabinete de Heráldica do Exército

EM CONSTRUÇÃO

ÚLTIMA ACTUALIZAÇÃO: 5 DE MARÇO DE 2020

GABINETE DE HERÁLDICA

ARMAS:
– Escudo de vermelho, duas trombetas da fama passadas em aspa,
acompanhadas de quatro escudetes, tudo de ouro;
– Elmo militar, de prata, forrado de vermelho, a três quartos para a dextra;
– Correia de vermelho perfilada de ouro;
– Paquife e virol de vermelho e de ouro;
– Timbre: um leão rampante de ouro, segurando nas garras dianteiras um
escudo de prata, com uma cruz firmada de azul;
– Divisa: num listel de branco, ondulado, sotoposto ao escudo, em letras de
negro, maiúsculas, de estilo elzevir «ARMA VIRVMQVE CANO».
SIMBOLOGIA E ALUSÃO DAS PEÇAS:
– As TROMBETAS da fama simbolizam a missão primacial do Gabinete, ou
seja a glorificação dos feitos de armas e dos varões esforçados do Exército
Português;
– Os ESCUDETES simbolizam o ordenamento heráldico das armas do mesmo
Exército;
– No timbre o LEÃO alude ao exército Português e o ESCUDO simboliza
Portugal no signo da sua origem;
– A DIVISA define, de modo lapidar, a missão primacial do Gabinete.
OS ESMALTES SIGNIFICAM:
– OURO: nobreza e pureza;
– PRATA: riqueza e eloquência;
– VERMELHO: energia criadora e ardor bélico;
– AZUL: zelo e leatrução

Unidade Militar Laboratorial de Defesa Biológica e Química

UMLDBQ

ARMORIAL: CRISTÓVÃO FLÓRIDO DA FONSECA
ILUMINURA:
JOSÉ ESTEVÉNS COLAÇO
Aprovação: Despacho s/n.º de 26 de fevereiro de 2018
Publicação das Armas: ORDEM DO EXÉRCITO N.º 11/2019 (1ª Série) – pp.183-186

Por despacho do Chefe de Estado-Maior do Exército, José Nunes da Fonseca (General) são aprovadas as Armas da Unidade Militar Laboratorial de Defesa Biológica e Química (UMLDBQ) conforme se descrevem a seguir.

ARMAS:
Escudo: de púrpura, quatro besante e três bilhetas entre si, tudo de ouro, postos em perle, acompanhados em orla de três crescentes em prata, o 1.º a montante, o 2.º em barra e o 3.º em banda;
Elmo militar de prata, forrado de vermelho, a três quartos para a dextra;
Correia de vermelho, perfilada de ouro;
Paquife e virol de ouro e de vermelho;
Timbre: um Lince de prata, lampassado e animado de vermelho;
Divisa: num listel de prata, ondulado, sotoposto ao escudo, em letras de negro, maiúsculas,
de estilo elzevir, “SCIENTIA EST POTENTIA”.

SIMBOLOGIA:
Os BESANTES e as BILHETAS, no seu conjunto, simbolizam a área de atuação do
Laboratório de Segurança e Defesa Química.
Os CRESCENTES simbolizam a área de atuação do Laboratório de Bromatologia e Defesa
Biológica;
O LINCE é um animal com elevada imunidade às doenças. Animal místico, com capacidade
para ver para além dos objetos. Tem o poder de revelar as verdades escondidas. Funções para a qual foi
criada a unidade

SIGNIFICADO DOS ESMALTES:
O OURO: metal nobre por excelência, significa nobreza e pureza e perpetuidade;
A PÚRPURA: a fé nos próprios recursos e a ciência indispensável ao fiel cumprimento do dever.

 

Unidade Militar Laboratorial de Defesa Biológica e Química

hospital verinario militar

HVM 1916-Hospital Veterinário Militar, onde foi criado o primeiro Laboratório de Bacteriologia, análises clínicas e bromatológicas, antecessor do actual.
Fotografia retirada da Revista Militar Nº 2571 – Abril de 2016

RESENHA:
A Unidade Militar Laboratorial de Defesa Biológica e Química (UMLDBQ) é uma unidade do Exército na dependência da Direção de Saúde (DS), localizada fisicamente nas instalações do Laboratório Militar de Produtos Químicos e Farmacêuticos em Lisboa. É composta pelo Laboratório de Bromatologia e Defesa Biológica (LBDB) e pelo Laboratório de Segurança e Defesa Química.
A UMLDBQ garante o apoio laboratorial na área da Bromatologia, da Defesa Biológica, e da Segurança e Defesa Química, aos ramos das FFAA e outras instituições do
Estado, e tem como algumas das suas possibilidades previstas no respetivo programa funcional (EMGFA, 2015):

A Unidade Militar Laboratorial de Defesa Biológica e Química é constituída por duas subunidades laboratoriais: O Laboratório de Bromatologia e Defesa Biológica e o Laboratório de Segurança e Defesa Química. Estes Laboratórios são constituídos por componentes laboratoriais, equipas operacionais e componentes de investigação científica e desenvolvimento, participando​ em diversas missões no quadro da Defesa Nacional incluindo apoio à proteção civil conforme diretivas aprovadas.
A sua criação remonta a 1916, aquando da preparação do dispositivo para a Primeira Guerra Mundial, tendo nessa data sido criado o Laboratório de Bacteriologia e Análises Clínicas e Bromatológicas do Hospital Veterinário Militar.

À UMLDBQ compete:

a) Apoiar, no âmbito da defesa biológica e química, os ramos das Forças Armadas e outros serviços, organismos e entidades do Estado;
b) Executar ações de vigilância epidemiológica de agentes biológicos passíveis de serem usados como arma biológica;
c) Executar o processamento de amostras e a identificação inequívoca de produtos químicos tóxicos passíveis de serem usados em atentados terroristas ou resultantes de incidentes químicos;
d) Apoiar laboratorialmente todo o serviço veterinário;
e) Participar em projetos de investigação e desenvolvimento dentro da sua esfera de ação.

Início de Vigência: 01-08-2015

 

Portugal
UNIDADES DO EXÉRCITO PORTUGUÊS
© 2013 – 2020

 

ÚLTIMA ACTUALIZAÇÃO: 30/01/2020

 

SIGA A PÁGINA NO:

FACEBOOKThe_Instagram_Logo

Centro de Psicologia Aplicada do Exército

CPAE

ARMORIAL: JOSÉ DE CAMPOS E SOUSA
ILUMINURA:
 JOSÉ ESTEVÉNS COLAÇO
Aprovação:
Despacho s/n.º/CEME/19 de 30 de abril
Publicação das Armas: Ordem do Exército nº 05/2019 (1ª série) – pp. 73-76

 

ARMAS:
ESCUDO de azul, duas espadas antigas com lâminas de prata, guarnecidas, empunhadas e maçanetadas de ouro, passadas em aspa, acompanhadas em chefe e em ponta da letra grega “psi” de ouro
e em cada um dos flancos uma lucerna flamejante apontada ao centro e também de ouro
ELMO militar de prata, forrado de vermelho, a três quartos para a dextra;
CORREIA de vermelho perfilada de ouro;
PAQUIFE E VIROL de azul e de ouro;
TIMBRE: um leão rampante de ouro, segurando nas garras dianteiras um “psi” igualmente de ouro.
CONDECORAÇÃO: pendente do escudo a Medalha de Ouro de Serviços Distintos;
DIVISA: num listel de prata, ondulado, sotoposto ao escudo, em letras de negro, maiúsculas, de estilo elzevir “VNVSQVISQVE IN OFFICIVM SVVM”.

SIMBOLOGIA:
As ESPADAS simbolizam força armada e, portanto, o carácter militar do centro.
As LETRAS “PSI” simbolizam o carácter da atividade do centro de estudos, a psicotécnica.
As LUCERNAS simbolizam as atividades didáticas e de estudos do centro.
O LEÃO do timbre alude ao Exército Português.
A DIVISA exprime, em estilo lapidar, a atividade do centro.

SIGNIFICADO DOS ESMALTES:
O OURO: nobreza e pureza
A PRATA: riqueza e eloquência
O VERMELHO: significa energia criadora e vida
O AZUL: significa zelo e lealdade e é a cor tradicionalmente representativa das Faculdade de Letras onde se leciona Psicologia.

CENTRO DE ESTUDOS PSICOTÉCNICOS DO EXÉRCITO
BRASÃO DE ARMAS SEM CONDECORAÇÃO:

CPAE

ARMORIAL: JOSÉ DE CAMPOS E SOUSA
Aprovação e Publicação: das Armas: “Portaria”, 1972, Fevereiro, 3 in OE, 1972, 1.ª série, n.º 2, pp. 60-61.

 

EM ACTUALIZAÇÃO

 

​MISSÃO

Aprovado por Despacho de 10 de Dezembro de 2009 GEN CEME (Quadro Orgânico nº 31.2.01 DEC09

O Centro de Psicologia Aplicada do Exército (CPAE) estuda, aplica e supervisiona as actividades do Exército nas áreas da Psicologia e Sociologia, e apronta o Módulo de Operações Psicológicas. (em vigor desde 10DEC09)

RESENHA HISTÓRICA:

O CPAE é possuidor de um património único na área da Psicometria. Tendo
sido uma das instituições pioneiras nesta área em Portugal, arrecadou ao longo de
anos um espólio que é o reflexo direto e indissociável da história da Psicologia no nosso País. Este equipamento está exposto nas instalações do CPAE, encontrando-se em perfeito estado de conservação.
Desse material constam Testes de Papel e Lápis e Aparelhos de Laboratório destinados às Provas Sensoriais e Psicomotoras que ao longo do tempo foram sendo substituídos por aparelhos mais sofisticados.

Ordem do Exército que ordena a criação do Centro de Estudos Psicotécnicos do Exército

20191119_115941.jpg

 

 

Portugal

UNIDADES DO EXÉRCITO PORTUGUÊS
© 2013 – 2019

 

ÚLTIMA ACTUALIZAÇÃO: 18/02/2019

 

 

Comemoração dos 100 anos Armistício da Primeira Guerra Mundial

MAIS RECENTE

YouTube_logo_(2013-2015)
Video Youtube Publicado por:
Fernando Liberato – Publicado a 05/11/2018

 

Foi um dos maiores desfiles de que há memória em Portugal para assinalar o centenário do armistício que pôs fim à Primeira-Guerra Mundial. Decorreu esta manhã na Avenida da Liberdade em Lisboa

Lisboa viveu hoje uma das maiores paradas militares de que há memória para assinalar os 100 anos da assinatura do armistício que, em 1918, pôs fim à Primeira Guerra Mundial. O acontecimento, com a presença de Marcelo Rebelo de Sousa como chefe supremo das Forças Armadas, contou com a presença das principais figuras do Estado e das Forças Armadas e decorreu durante a manhã na Avenida da Liberdade em Lisboa.

Marcelo Rebelo de Sousa, António Costa e Eduardo Ferro Rodrigues prestaram homenagem os soldados portugueses que perderam a vida no conflito colocando uma coroa de flores no Monumento de Homenagem aos Mortos da Primeira Grande Guerra.

INFOGRAFIA: COMEMORAÇÕES DO ARMISTÍCIO | Exército Português

ArmisticioInfografia

FOTOGRAFIAS:
Miguel A. Lopes
Retiradas de: Expresso – 04.11.2018 às 13h48

mw-1600 (1)mw-1600 (2)mw-1600 (3)mw-1600 (4)mw-1600 (5)mw-1600 (6)mw-1600 (7)mw-1600 (8)mw-1600 (9)mw-1600

 

SIGA A PÁGINA NO:

FACEBOOKThe_Instagram_Logo

 

Portugal
UNIDADES DO EXÉRCITO PORTUGUÊS
© 2013 – 2019