Miguel de Paiva Couceiro

MIGUEL DE PAIVA COUCEIRO
MIGUEL DE PAIVA COUCEIRO

Filho de Henrique Mitchell de Paiva Couceiro e de D. Júlia Maria do Carmo de Noronha.

Foi o 4.º Conde de Parati, sucedendo a sua mãe, filha de D. Miguel Aleixo António do Carmo de Noronha, 3.º Conde de Parati.

Nasceu em Cascais em 27 de Agosto de 1909, faleceu em Lisboa em 24 de Junho de 1979.

Após a implantação da República, em 5 de Outubro de 1910, partiu para o exílio com seu pai Henrique Mitchell de Paiva Couceiro e família. Esteve primeiro em Espanha, frequentando a partir de 1919 e até 1923 o Colégio dos Maristas – Collegio del Sagrado Corazón – sendo premiado em todos os anos com “Matrículas de Honor”. O exílio de seu Pai levou-o depois para França. Voltando à pátria, com 14 anos, tirou o curso dos liceus em 4 anos e entrou na Escola Militar, sendo promovido a Alferes da Arma de Cavalaria a 1 de Novembro de 1932.

Prestou serviço em Cavalaria 7 e em Lanceiros 2, em Lisboa, sendo promovido a Tenente a 1 de Dezembro de 1936. De 15 de Setembro de 1936 a Dezembro de 1938 desempenhou as funções de Chefe da Repartição Militar das Forças Militares da extinta Companhia de Moçambique, com sede na Beira. Deixou este posto a 19 de Novembro de 1938 devido a um desastre de viação que o forçou a quase 1 ano de estadia em Paris aonde foi submetido a delicadas operações cirúrgicas. Foi reintegrado em Cavalaria 2 a 30 de Setembro de 1939, passando para Cavalaria 1 a 31 de Março de 1943. A 20 de Março de 1943 foi promovido a capitão e voltou a passar por Cavalaria 2 e 5 até ser colocado ao serviço do Ministério das Colónias a 1 de Outubro de 1948.

Fontes: 

Arquivo Histórico Militar

Bookpalte.info

Como escritor pode citar-se « Diu e Eu ». No seu prefácio, Miguel Pinto de Meneses diz: “livro de viagens, de memórias, de história no essencial dos seus apontamentos, na apreciação das lendas, religiões, ritos, castas e outras particularidades da vida social diurense”. Vem ilustrado com 20 desenhos de sua autoria e termina com uma excelente receita de “Lulas à Coge Çofar”. E também « As Armas Africanas de D. Pedro de Meneses », uma verdadeira enciclopédia sobre as origens e alianças das famílias Noronha e Menezes e respectivas descendências, de 924 até hoje. Além de numerosos artigos publicados no jornal “O Debate” e em vários jornais da imprensa Moçambicana.

390px-As_armas_africanas_-_livre_a405px-Diu_e_eu_-_livre

(…)  a vertente pela qual Miguel de Paiva Couceiro chegou à Heráldica derivou das suas capacidades no campo do desenho e da ilustração. A sua actividade artística começou exactamente pela actividade de iluminador heráldico, nomeadamente na ex-libristica, sendo a primeira obra de que há registo um ex-líbris desenhado para o eng. António de Azevedo Coutinho Lobo Alves, datado de 1928. É de registar, como muito relevante ao nível plástico, a produção de um número significativo daquelas marcas de posse. Há, no entanto, que afirmar que esta actividade plástica foi sempre encarada como um “hobby” e não como uma actividade principal e estes trabalhos eram feitos, primeiro para si próprio, mas também para os seus familiares e ainda para os seus amigos e conhecidos, jamais tendo saído deste estreito círculo ou sido encarada de forma profissional. a)

No campo da realização plástica da Heráldica, onde, dotado de algumas qualidades plásticas, instituiu uma linguagem muito própria e reconhecível, ainda antes de ter integrado o Gabinete de Heráldica do Exército. Sobre a forma como desenhava e sobre as liberdades expressivas que conferia aos seus desenhos cite-se uma frase de Miguel de Paiva Couceiro: «Não é desenho de máquinas» b)

Fonte: Retirada da Dissertação de Doutoramento do Dr. Paulo Jorge Morais Alexandre, apresentada à Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra – 2009 – (pp. 694)

a) – Cf. Pedro Veiga – “O 5.º Conde de Paraty: D. Miguel António do Carmo de Noronha de Paiva Couceiro”, ob. cit., 1971, ano 16, vol. 7, n.º 53

b) – Francisco de Simas Alves de Azevedo – “Os Ex-líbris do 3.º Marquês de São Payo” in Boletim da Academia Portuguesa de Ex-Líbris, ob. cit., 1992, Janeiro a Dezembro, ano 37, n.º 92, p. 29.

Armorial Miguel de Paiva Couceiro

 

Artigo em Actualização

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s