Escola das Armas

ACTUALIZADO
24 MAIO 2019

ESCOLA DAS ARMAS

ARMORIAL: CRISTÓVÃO FLÓRIDO DA FONSECA
ILUMINURA: JOSÉ ESTÉVENS COLAÇO
Publicação das Armas:
 Despacho s/n.º do GEN. CEME de 23 de Setembro de 2013
In Ordem do Exército nº 11/2013 – pp. 824 a 828

ARMAS:
ESCUDO: de vermelho uma lucerna de prata acesa de vermelho perfilada do segundo, um chefe de prata carregado de cinco escudetes de vermelho;
ELMO: Militar de prata forrado de vermelho, a três quartos para a dextra;
CORREIA: de vermelho perfilada de ouro.
PAQUIFE E VIROL: de vermelho e prata.
TIMBRE: um leão rampante de prata, sustendo à sinistra um livro antigo aberto de prata com correias fiveladas de ouro, sobre o mesmo na vertical a espada com lâmina antiga de prata, guarnecida, empunhada e macenetada de ouro, sustida pela mão dextra;
DIVISA: num listel de prata, ondulado, sotoposto ao escudo, em letras de negro, maiúsculas, de estilo elzevir
«SE MOSTRARÃO NAS ARMAS SINGULARES»

SIMBOLOGIA:
O VERMELHO do campo simboliza a vitória na luta contra as adversidades e persecução dos objetivos a atingir
A LUCERNA símbolo da luz do espírito e da força da sabedoria;
O CHEFE de prata simboliza a aglutinação das diversas áreas que estão na origem da Escola das Armas;
Os ESCUDETES de vermelho simbolizam as cinco unidades que estão na origem da formação da Escola das Armas
O LEÂO, símbolo de coragem e força empunhando a ESPADA do Exército e o LIVRO ANTIGO simbolizam também a verticalidade, o aprumo, a tradição e a formação
A DIVISA «SE MOSTRARÃO NAS ARMAS SINGULARES» (Divisa inspirada nos Lusíadas, Canto III est. 24 “Se mostraram nas armas singulares”)

SIGNIFICADO DOS ESMALTES:
O VERMELHO a bravura e a força
A PRATA a humildade e riqueza;
O OURO a sabedoria e o rigor

ESCOLA DAS ARMAS:

EA
Fotografia: Armas Combinadas Revista Militar da Escola das Armas Edição nº 2 – 2015

SÍNTESE:

Por Despacho de 30 de maio de 2013, de S.Exa o Gen CEME, foi criada a Comissão Instaladora da Escola das Armas com a missão de planear e propor a adopção das medidas e a prática dos actos que se mostrem necessários à implementação e entrada em funcionamento, em 1 de Outubro de 2013, da Escola das Armas (EA), incluindo os relativos a recursos humanos e materiais, nos termos da Diretiva nº55/CEME/13, de 24 de Maio.

Por Despacho de S.Exa o Ministro da Defesa Nacional, de 03 de Julho de 2013, foi aprovada a criação da EA, na vila de Mafra com efeitos a partir de 1 de Outubro de 2013 e a desactivação das Seguintes Unidades:

  • Escolas Prática de Infantaria (EPI),
  • Escolas Prática de Artilharia (EPA)
  • Escolas Prática de Cavalaria (EPC)
  • Escolas Prática de Engenharia (EPE)
  • Escolas Prática de Transmissões (EPT)
  • Centro Militar de Educação Física e Desportos (CMEFD)

CONVENTO DE MAFRA

 

EA
Términus do Tirocínio Para Oficial de Engenharia 2014/15

ESCOLA DAS ARMAS

ESCOLA DAS ARMASA Escola das Armas concebe e ministra cursos de formação inicial, progressão na carreira e formação contínua; participa, de acordo com as orientações superiores, na elaboração de doutrina, estudos técnicos e em projetos de investigação e desenvolvimento.

Na manhã de 7 de Outubro 2013, teve lugar, na Vila de Mafra, a activação da Escola das Armas que foi presidida pelo General Artur Neves Pina Monteiro, Chefe de Estado-Maior do Exército. A cerimónia decorreu na Parada Coronel Magalhães Osório onde, no fim, as tropas em parada, sob o Comando do Coronel Tirocinado de Artilharia Morgado Batista, 2º Comandante da Escola das Armas, desfilaram perante a tribuna de honra.

 DIA FESTIVO DA ESCOLA DAS ARMAS A 17 DE JUNHO 2013

O Chefe de Estado-Maior do Exército usou da palavra tendo salientado a certa altura: «O modelo agora edificado de uma Escola única contempla uma organização em rede, centrada na Escola das Armas, onde residirá o conhecimento e onde decorrerá uma formação essencialmente técnica, articulada com uma formação complementar de natureza tática, a ser ministrada em Polos de Formação, situados em unidades operacionais selecionadas à custa dos 01recursos humanos e materiais que as integram. A decisão de localizar em Mafra a Escola das Armas foi a escolha que minimizou os investimentos necessários à sua criação, designadamente por não obrigar à construção de novas infraestruturas de vulto e maximizar recursos através da rentabilização das instalações aqui existentes. Acresce que, a proximidade a Lisboa e às Caldas da Rainha, são uma grande vantagem, porquanto coloca a Escola das Armas a curta distância da Academia Militar e da Escola de Sargentos, dois dos seus principais «clientes alvo».Não menos relevante, no plano social, esta localização geográfica foi também vantajosa para o Exército, pois, é no eixo LISBOA – MAFRA – CALDAS que reside um elevado número de militares, o que associado com as excelentes vias de comunicação existentes, facilmente, e com reduzidos custos financeiros e sociais permitiu colocar, na agora criada Escola das Armas, os recursos humanos necessários ao seu funcionamento. Igualmente a ligação secular da instituição militar com Mafra e com a sua população estou certo que poderá sair ainda mais reforçada face à natureza e dimensão da Escola das Armas e a cooperação com a Câmara Municipal de Mafra e seu concelho poderá, por isso, vir a conhecer uma dinâmica acrescida em vários domínios. Nesta cerimónia irei entregar ao Comandante da Escola das Armas, Coronel Tirocinado de Infantaria Domingos Luís Dias Pascoal, o Estandarte Nacional que ficará à guarda desta unidade, Símbolo Nacional, que em si encerra todo o historial de atos de bravura e coragem, civismo, espírito de corpo e sentido do dever praticados por gerações e gerações de portugueses. Com o mesmo carácter simbólico o Tenente-General Frederico José Rovisco Duarte, Comandante da Instrução e Doutrina entregará o Guião da Escola das Armas, que dará corpo ao seu orgulho institucional ao sentido de pertença e ao sentimento coletivo de missão de todos os que aqui servirão. Este ritual simbólico próprio, que nos caracteriza, ficará marcado para o futuro, no dia 17 de junho que será o DIA FESTIVO DA ESCOLA DAS ARMAS. Montes Claros foi a última oportunidade que, no século XVII, o nosso adversário histórico de então teve para retomar Portugal. Empregou nela o seu melhor e mais experiente comandante as melhores tropas de infantaria e a quase invicta cavalaria, mas Portugal tinha a força da vontade e lutava unido pela sua independência. Portugal tinha forças em menor número, mas muito bem treinadas e altamente motivadas. Tinha, também, comandantes experientes e audazes e, acima de tudo, engenho e arte para criar soluções inovadoras e sabia como tirar partido do conjunto das várias Armas do Exército. Essa foi a vantagem e a maior razão da brilhante vitória. Foi um grande momento que merece ser recordado como Escola da melhor e mais eficaz coordenação entre as Armas do Exército. A esta vitória ficará assim associada a Escola das Armas pelo seu Dia Festivo a 17 de junho». E, a terminar a sua alocução, acrescentou: «Tenho consciência que toda esta reformulação do Sistema de Formação do Exército é muito exigente. Não é tempo de desistir do futuro que depende de nós, por isso, de forma convicta e segura, expresso a minha confiança nos oficiais, sargentos, praças e funcionários civis da Escola das Armas, com a certeza de poder contar com a vossa absoluta determinação, motivação, elevada competência e disciplina que vos caracterizam e que nos é intrínseca, na otimização da Formação no Exército, fazendo jus ao novo lema da Escola das Armas «Se Mostrarão nas Armas Singulares» inspirado na alma e obra de Camões para que saibamos continuar a prestigiar o Exército honrando e servindo Portugal».

RECONHECIMENTO PÚBLICO AOS ESTANDARTES NACIONAIS DAS ESCOLAS PRÁTICAS E DO CENTRO MILITAR DE EDUCAÇÃO FÍSICA E DESPORTOS
Deu entrada, na Parada do Quartel, o Bloco de Estandartes Nacionais das Escolas Práticas e do Centro Militar de Mafra acompanhado por uma escolta constituída por alunos dos Tirocínios para Oficial e dos Cursos de Formação de Sargentos do ano letivo 2013/2014.

O Presidente da República concedeu às Escolas Práticas das Armas a Medalha de Serviços Distintos, por isso, cumprindo a decisão presidencial foram condecorados, com a medalha de serviços distintos grau ouro, os Estandartes Nacionais da Escola Prática de Infantaria, Escola Prática de Artilharia, Escola Prática de Engenharia, Escola Prática de Cavalaria e Escola Prática de Transmissões.

Com o Colar de Honra de Mérito Desportivo foi condecorado o Centro Militar de Educação Física e Desportos por despacho do Secretário de Estado do Desporto e Juven

 DESFILE DAS FORÇAS EM PARADA


Os militares desfilaram, ao som da Banda do Exército, perante a Tribuna de Honra onde se encontravam o Vereador José Parente, em representação do Presidente da Edilidade Mafrense; Hélder Sousa Silva, Presidente eleito da Câmara Municipal de Mafra; Pároco de Mafra, Diretora da Tapada, Diretor do Palácio Nacional de Mafra, Presidente da Junta da Freguesia de Mafra, Vice-Chefe do Estado-Maior do Exército, Tenentes-Generais da Estrutura de Comando do Exército, Tenentes-Generais Diretores Honorários das Armas de Infantaria, Artilharia, Cavalaria, Engenharia e Transmissões; Comandantes e Adjuntos do Comando das cinco Escolas Práticas e do Centro Militar de Mafra, bem como outros convidados civis e militares

Escola-das-armas

ALMOÇO-CONVÍVIO
Na Sala Elíptica o General Chefe do Estado- Maior do Exército assinou o Livro de Honra da nova Escola das Armas.
Seguiu-se o almoço, no Refeitório dos Frades, onde não faltou o corte do bolo e o brinde de vinho do Porto, mas sem o tradicional grito cuja letra será oportunamente criada.

Texto: Rogério Batalha – EriceiraOnline

* * * 

ESCOLA DAS ARMAS: 2º ANIVERSÁRIO
(Fotografias © 2015 – Jornal de Mafra)
para uma melhor visualização, clique nas fotos e aceda à galeria

Na presença do Vice Chefe de Estado Maior do Exército e das autoridades Militares e Civis que habitualmente marcam presença neste tipo de cerimónias, tiveram lugar a 17 de Junho de 2015 no terreiro D. João V as cerimónias comemorativas do 2º aniversário da Escola das Armas (EA)

 

 

 

HERANÇA E PATRIMÓNIO HISTÓRICO:
Herdeira das escolas Práticas de Infantaria, de Artilharia, de Cavalaria, de Engenharia, de Transmissões e do Centro Militar de Educação Física e Desportos, foi criada, na vila de Mafra, a 01 de outubro de 2013 a Escola das Armas.

Fotografias: Escola das Armas | Exército Potuguês

2-EA_Artilharia3-EA_Cavalaria4-EA_Engenharia5-EA_Transmissoesescola armas

ARMAS COMBINADAS
Revista Militar da Escola das Armas

AC1AC2escola armas 3.JPG

 

FOTOGALERIA: Para uma melhor visualização clique numa das fotos

ESCOLA DAS ARMAS 2.JPG