Instituto Militar dos Pupilos do Exército

ipe

ARMORIAL:  XXX
ILUMINURA:
XXX
Aprovação:
XXX
Publicação das Armas: XXX

ARMAS:
Escudo de azul, um penacho de prata chapeado de ouro e uma lucerna bilícnia acesa de vermelho perfilada de ouro, um sobre a outra; chefe de prata carregado de três arruelas de azul.
Elmo militar, de prata, forrado de vermelho a três quartos para a dextra.
Correia de vermelho perfilada de ouro.
Paquife e virol de azul e de prata.
Timbre um leão rompante, saínte, segurando na garra dianteira dextra uma espada em pala e, na sinistra, um livro aberto, tudo de prata.
Condecorações: circundando o escudo o colar de membro honorário da Ordem Militar de Santiago da Espada.
Divisa: num listel de brando, ondulado, sotoposto ao escudo, em letras de negro, maiúsculas, de estilo elzevir:
“QUERER É PODER”

SIMBOLOGIA:
O PENACHO que orna a barretina do aluno, razão de ser e finalidade última do Instituto, resume em si toda a filosofia de vida onde os padrões ético-culturais se impõem às naturais vicissitudes do quotidiano.
A LUCERNA BILÍCNIA com as chamas do estudo e do saber, alude ao esforço em que os professores e os alunos se encontram na formação de uma juventude à procura de si própria.
O CHEFE invoca o sábio D. João de Castro, herói impoluto da gesta das Índias, patrono eleito da Escola.
O LEÃO o recorda a criação do Instituto por um general que ao Exército serviu numa carreira polifacetada de mais de 45 anos e o LIVRO e a ESPADA exprimem a vocação da Escola e a sua ligação à Academia Militar.
A DIVISA é a afirmação inequívoca do voluntarismo essencial ao cumprimento da forma de viver escolhida.

SIGNIFICADO DOS ESMALTES:
O OURO a nobreza de uma juventude bem formada.
A PRATA a riqueza do ideal que presidiu à criação do Instituto.
O VERMELHO o dinamismo da intervenção no redefinir de uma sociedade nacional.
O AZUL a galhardia e a lealdade permanentes na forma individual de actuar.

IPEFotografia: © – 2016 Elsa Martins Magro – Dia do Exército – Elvas

SÍNTESE HISTÓRICA:
(Fonte: Pupilos do Exército)

Os antecedentes do IPE remontam a 1911, quando, por Decreto-Lei de 25 de Maio e por inspiração do General António Xavier Correia Barreto, ao tempo Ministro da Guerra, foi criado o Instituto Profissional dos Pupilos do Exército de Terra e Mar. Desde 1911 até hoje, os planos de estudos sofreram sucessivas reformas, ditadas pela necessidade de acompanhar, internamente, a evolução geral do ensino em Portugal. Tais reformas, porém, sempre tiveram presentes quatro aspectos característicos deste Instituto, dignos de relevo:

  1. A coexistência de vários cursos e de diferentes níveis de ensino;
  2. A equiparação, para todos os efeitos, dos cursos ministrados aos correspondentes cursos dos estabelecimentos civis de ensino;
  3. A instrução militar, ministrada em função da idade e/ou preparação académica;
  4. O papel importante da educação física no desenvolvimento global dos alunos.

Ao longo dos seus anos de vida, o IPE desenvolveu uma acção altamente valiosa, educando e ensinando milhares de cidadãos que, na vida prática, têm granjeado prestígio e credibilidade à instituição que os formou, acção essa que já mereceu ser distinguida com quatro condecorações:

  • COMENDADOR DA ORDEM DE INSTRUÇÃO PÚBLICA (DECRETO DE 05AGO53)
  • COMENDADOR DA ORDEM MILITAR DE CRISTO (DECRETO DE 14OUT57)
  • MEMBRO HONORÁRIO DA ORDEM MILITAR DE SANTIAGO DE ESPADA (ALVARÁ DE 07MAI81)
  • MEMBRO HONORÁRIO DA ORDEM MILITAR DE AVIS (ALVARÁ DE 06MAI88)
  • MEDALHA DE OURO DE SERVIÇOS DISTINTOS (PORTARIA Nº 231 DE 14OUT96)
  • ORDEM NACIONAL DO INFANTE D. HENRIQUE (25MAIO2011)
* Até aos dias de hoje, teve ainda a designação de Instituto Técnico-Militar dos Pupilos do Exército.
* Há várias teorias para justificar a denominação, mas a que considero mais provável é que Pilões seja a redução do termo pupilões.
* Os cursos de especialização tecnológica são formações pós-secundárias não superiores que visam suprir as necessidades verificadas, no tecido empresarial, ao nível dos quadros intermédios, e a sua conclusão confere um Diploma de Especialização tecnológica (DET).
*  A Ordem da Instrução Pública tem o intuito de galardoar altos serviços prestados à causa da educação e do ensino.
* A Ordem Militar de Cristo é concedida por destacados serviços prestados ao País.
* A Ordem Militar de Sant’Iago da Espada tem por objectivo distinguir o mérito literário, científico e artístico.
* A Ordem Militar de Avis é destinada a premiar altos serviços militares, sendo exclusivamente reservada a oficiais das Forças Armadas, da Guarda Nacional Republicana e da Guarda Fiscal e, ainda, a unidades, órgãos, estabelecimentos e corpos militares.
* A medalha de serviços distintos destina-se a galardoar serviços de carácter militar, relevantes e extraordinários, ou actos notáveis de qualquer natureza ligados à vida da instituição militar, de que resulte, em qualquer dos casos, honra e lustre para a Pátria ou para a própria instituição.
Fotografia O Operacional Todos os Direitos Reservados
Fotografia: António E.S. Carmo
O Operacional
Fotografia: António E.S. Carmo O Operacional
Fotografia: António E.S. Carmo
O Operacional
Fotografia: Viajar e Descobrir
Fotografia: Viajar e Descobrir

(Fonte: Rui Santos Vargas) O IMPE foi fundado nos alvores da República em Portugal, a 25 de Maio de 1911, com o objectivo de ajudar socialmente na educação e formação dos filhos varões de sargentos e praças das Forças Armadas, e formar cidadãos úteis à Pátria. Tinha a designação de Instituto Profissional dos Pupilos do Exército de Terra e Mar, nele se depositava muito do sentido regenerador social que marcou o início do século XX.

Foi seu fundador o General António Xavier Correia Barreto, à época Ministro da Guerra e ainda com a patente de Coronel. Homem invulgar, Correia Barreto foi, para além de um militar de eleição, político republicano que exerceu por três períodos diferentes a função de Ministro da Guerra, foi Senador e Presidente do Senado, e Presidente da Câmara Municipal de Lisboa. Como maçon foi Grão-mestre da Maçonaria portuguesa. Foi ainda um notável cientista na área da química, ficando-se a dever ao seu trabalho e dedicação a descoberta de uma fórmula de pólvora sem fumo de nível superior à concorrente Nobel, que ficaria conhecida como Pólvora Barreto.

General António Xavier Correia Barreto
General António Xavier Correia Barreto

Ao longo da existência do IMPE, os seus planos de estudos sofreram diversas reestruturações para melhor se poderem adaptar às necessidades e realidades do Exército e do País. Independentemente dos níveis profissionais, Médio ou Superior (atribuindo o grau de Bacharel) dos cursos ministrados, a oferta de formação no IMPE centrou-se maioritariamente nas áreas da Contabilidade, Mecânica, Electricidade e Electrónica.

Fotografia: Viajar e Descobrir
Fotografia: Viajar e Descobrir

Em 1976 foram admitidas as primeiras alunas do Instituto, e hoje em dia, podem concorrer ao IMPE as filhas e filhos de militares e de civis.

Os alunos e os antigos alunos dos Pupilos do Exército são conhecidos popularmente como Pilões.

Hoje em dia, o IMPE ministra o 2.º e o 3.º ciclos do Ensino Básico e cursos profissionais de nível III (equivalentes para todos os efeitos ao 12º ano de escolaridade) de Técnico de Gestão, Técnico de Manutenção Industrial Electromecânica e Técnico de Manutenção Industrial Mecatrónica.

Ministra igualmente cursos de especialização tecnológica de nível IV de Contabilidade, Electrónica e Telecomunicações, Instalações Eléctricas e Automação e Tecnologia Automóvel.

10 de Junho 2010 Fotografia: Presidência da Républica
10 de Junho 2010
Fotografia: Presidência da Républica

Para além das disciplinas que constituem o curriculum aprovado pelo Ministério da Educação, os alunos dos Pupilos do Exército têm Instrução Militar, que nos 11.º e 12.º anos constitui a primeira parte do Curso Geral de Milicianos, o que equivale à recruta do Exército para oficiais e sargentos do quadro de complemento.

Para promover uma formação integral, inúmeras outras actividades extra-curriculares são postas à disposição dos alunos, quer no campo desportivo (esgrima, remo e remo indoor, andebol, futebol, voleibol, basquetebol, tiro, pára-quedismo, equitação, tae kwon-do, etc.) quer no campo artístico-cultural (canto coral e instrumental, artes plásticas, fotografia, etc.).

Há regime de internato e de semi-internato exclusivamente para rapazes, e nos cursos profissionais e de especialização tecnológica o regime é de semi-internato, sendo também admitidas alunas.

O IMPE é dirigido por um Oficial General do Exército no activo, geralmente Major-General, e os seus quadros docente e de apoio são preenchidos com militares de todos os ramos das Forças Armadas, bem como civis.

O lema do Instituto é, desde a sua fundação, Querer é Poder. Esta divisa, incitadora de convicções profundas, tem sido uma bandeira que os alunos e antigos alunos dos Pupilos do Exército têm empunhado com veemência, sendo-lhes reconhecida publicamente essa capacidade de trabalho e de realização.

O IMPE tem como patrono D. João de Castro, herói impoluto da gesta das Índias da qual foi Vice-Rei, e cuja sepultura está na capela do Instituto.

Fotografia: Viajar e Descobrir
Fotografia: Viajar e Descobrir
Fotografia: Viajar e Descobrir
Fotografia: Viajar e Descobrir
Fotografia: Viajar e Descobrir
Fotografia: Viajar e Descobrir
Fotografia: Viajar e Descobrir
Fotografia: Viajar e Descobrir

 Antigos Alunos

A melhor maneira de avaliar uma escola, é analisar a sua “produção”. Os antigos alunos do IMPE têm-se distinguido nas mais diversas áreas de actividade.

Muitos foram os que seguiram a carreira das armas, no Exército, na Armada, na Força Aérea, e na Guarda Nacional Republicana. Destes, perto de 50 atingiram as estrelas do generalato ou do almirantado. Inclusivamente vários antigos alunos tiveram o privilégio de ser Directores do Instituto.

Podemos mencionar ainda Ministros, Secretários de Estado, Presidentes e vereadores de Câmara Municipais, professores dos ensinos superior e secundário, advogados, médicos, polícias, engenheiros, contabilistas, gestores, economistas, arquitectos, sacerdotes católicos, historiadores, desportistas, escultores, pintores, escritores, etc. Todos eles com pontos em comum: um grande respeito pelo trabalho e um sentido de solidariedade e de entre-ajuda muito forte.

Mesmo correndo o eminente risco de omitir antigos alunos dignos de referência especial, destaco alguns:

– Engº Afonso Lemos Proença – antigo Presidente da Câmara Municipal de Leiria

– Capitão de Mar e Guerra Alberto Rebordão de Brito – Oficial Superior Fuzileiro Especial; Oficial, com Palma, da Ordem Militar da Torre e Espada; Medalha de Prata de Valor Militar, com Palma; Cruz de Guerra de 1ª Classe

– Alexandre Cabral – Escritor Neo-realista e Camilianista

– Prof. António Vidigal – Professor de Belas Artes, Escultor, Académico da Academia Nacional de Belas Artes

– Engº Carlos Alberto Dias Teixeira – Presidente da Câmara Municipal de Loures

– Dr. Henrique Medina Carreira – antigo Ministro das Finanças e antigo Secretário de Estado do Orçamento

– General João Barroso Letras – Oficial General Piloto Aviador da Força Aérea Portuguesa

– Engº Joaquim Videira – Atleta Olímpico em Espada (Pequim 2008)

– Dr. José Cardoso da Silva – antigo Secretário de Estado para a Indústria, Vereador da Câmara Municipal de Lisboa

– Engº José Caro Proença – Historiador especialista nos Descobrimentos Portugueses

– Ten. Coronel José Manuel Pedroso da Silva – Heraldista; Director do Gabinete de Heráldica do Exército; Académico-fundador da Academia Lusitana de Heráldica

– Prof. José Sousa Gomes – Presidente da Câmara Municipal de Almeirim

– General Mário Jorge Ribeiro de Almeida Vergas Rocha – Oficial general do Exército

– Políbio Gomes dos Santos – Poeta

– Ruy Cinnati – Engº Silvicultor, Poeta

– Contra-Almirante Victor Gonçalves de Brito – Oficial General Construtor Naval da Armada, Professor Universitário, Vice-Presidente da Ordem dos Engenheiros

– General Victor Mota de Mesquita – Oficial General do Exército

– Dr. David Sequerra – Jornalista desportivo; antigo seleccionador nacional de futebol de júniores

* * *

A 9 de Abri de 2013 decorreu uma Homenagem ao Ex-Aluno Tenente-coronel Pedroso da Silva, com descerramento de uma placa de atribuição de nome a uma das alas dos claustros, Pelo seu inestimável exemplo como Pilão, constituindo-se como modelo de “cidadão útil à Pátria”, ficará o seu nome perpetuado na designação deste local como referencia para as gerações futuras, passando a designar-se “Ala TCor José Manuel Pedroso da Silva”

Fotografia: Pupiloss do Exército
9 de Abril 2013
Fotografia: Pupiloss do Exército
Fotografia: Manuel Talhinhas
Fotografia: Manuel Talhinhas

11

Fotografia: Pupilos do Exército
Fotografia: Pupilos do Exército

Poema, da autoria do antigo Professor Artur Lobo de Campos, que usando a força superior da poesia tão bem define o que é ser Pupilo.

Ser Pupilo é trazer no coração

O amor da Pátria, a fé nos seus destinos

É sentir dentro d’alma a gratidão

Por quem homem nos fez, sendo meninos.

 É ser obediente a quem nos guia

E ensina que não há prazer que valha

Esta alegria sã de quem trabalha

Para ganhar o pão de cada dia.

 É ter orgulho de vestir a farda

Que a honra e brio do soldado encerra;

Aprender o manejo da espingarda

P’ra defender um dia a nossa Terra.

 Ser Pupilo é ser forte e ser leal

Na bravura o primeiro entre os primeiros

Tomando o exemplo em nobres cavaleiros

Que deram fama e glória a Portugal!

Localização:

ESTRADA DE BENFICA Nº 374
1549-016 LISBOA
PORTUGAL

E-mail: impe@mail.exercito.pt
Telefone 1: 217713800
Telefone 2: 217713803
Fax: 217785289

Links Úteis

Site Oficial

Página Oficial no Facebook

Associação dos Pupilos do Exército

IMPE na página do Exército

http://www.ahimtb.org.br/emeimpe.htm

IMPE no Operacional

Viajar e Descobrir

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s