Escola Prática do Serviço de Material

EPSMARMORIAL: JOSÉ DE CAMPOS E SOUSA
ILUMINURA: JOSÉ ESTEVÉNS COLAÇO
Publicação das Armas: “Portaria”, 1983, Maio, 13 in OE, 1984, 1.ª série, n.º 2, pp. 25-27.

ARMAS:
Escudo: de vermelho, um livro aberto, acompanhado em chefe e em ponta de uma granada flamejante em pala e nos flancos dextro e sinistro de uma roda dentada, tudo em oiro.
Elmo militar de prata, forrado de vermelho, a três quartos para a dextra.
Correia de vermelho perfilada de oiro.
Paquife e Virol de vermelho e de ouro.
Timbre: um leão agachado de negro fazendo saltar uma faísca de vermelho entre um fuzil e uma pederneira, ambos de ouro, seguros nas garras dianteiras dextra e sinistra.
Divisa: num listel de prata, ondulado, sotoposto ao escudo, em letras de negro, maiúsculas, de estilo elzevir:
“A PÁTRIA E O EXÉRCITO SERVIMOS”

SIMBOLOGIA:
O LIVRO  aberto simboliza a função didáctica da Escola.
A GRANADA e a  RODA DENTADA são peças tradicionais do do emblema do serviço
O TIMBRE representa Vulcano, figurado pelo Leão que lhe era consagrado, ensinando a tirar a faísca escondida na pedra, essencial ao atear da chama  necessária para forjar os metais usados no fabrico das armas e carros dos guerreiros.

SIGNIFICADO DOS ESMALTES:
O Oiro: Nobreza e Constância
O Vermelho: Ardor bélico e força
O Negro: Sabedoria e Honestidade

ESCOLA PRÁTICA DO SERVIÇO DE MATERIAL – EPSM

IMG_8716 - Cópia– A Escola Prática do Serviço de Material (EPSM) foi criada ao abrigo do DL nº 43595 de Abril de 1961, ocupou as instalações do Regimento de Artilharia Pesada n.º 1 em Sacavém.

– O DL n.º 50 de Fevereiro de 1993, transfere a Escola Prática do Serviço de Material  para o Entroncamento em 1 de Setembro 1993 passando a EPSM a ocupar as instalações do Batalhão do Serviço de Material (BSM)

– A EPSM é extinta em 2006, No âmbito da última reorganização da estrutura do Exército, no dia 1 de Julho de 2006 é criado nos termos do Despacho do MDN nº 12 555/2006 (2ª série) de 16 de Junho o Regimento de Manutenção (RMan) na sequência da extinção da EPSM e do BSM

– As tradições e o património histórico da EPSM, são herdados pela nova Escola Prática dos Serviços (EPS) que herda também as tradições das seguintes unidades:  EPST- Escola Prática do Serviço de Transportes / EPAM -Escola Prática de Administração Militar / BA-  Batalhão de Adidos e BAM-  Batalhão de Administração Militar.

O Decreto-Lei n.º 43595  (pp- 417a418) de Quinta-feira 13 de Abril de 1961, emitido pelo Ministério do Exército – Repartição do Gabinete, Cria a Escola Prática do Serviço de Material (E. P. S. M.) e define a sua missão (Documento em PDF)

Documento transcrito em Seguida:  Decreto-Lei n.º 43595 (Fonte: Diãrio da Républica electrónico)

Considerando ser necessário dar continuidade ao estabelecido pelo Decreto-Lei n.º 40880, de 24 de Novembro de 1956, que criou no Exército o serviço de material;

Tendo em vista a conveniência de fazer adequada e urgentemente a preparação técnica e táctica do respectivo pessoal;

Considerando as exigências inerentes ao cumprimento, pela Direcção do Serviço, das missões prescritas nas alíneas b), c), f), h), m) e n) do artigo 115.º do Decreto-Lei n.º 42564, de 7 de Outubro de 1959;

Usando da faculdade conferida pela 1.ª parte do n.º 2.º do artigo 109.º da Constituição, o Governo decreta e eu promulgo, para valer como lei, o seguinte:

Artigo 1.º É criada a Escola Prática do Serviço de Material (E. P. S. M.), com a missão de:

a) Ministrar os conhecimentos necessárias à preparação e formação de todos os especialistas do serviço de material, com excepção dos que pertencem ao ramo eléctrico, radioeléctrico e electrónico, que continuam a ser preparados e formados na Escola Militar de Electromecânica;

b) Organizar os cursos e estágios necessários à promoção nos diferentes quadros e graus hierárquicos nos ramos referidos do serviço de material, ministrando os conhecimentos técnicos e tácticos correspondentes à execução, comando e direcção dos serviços;

c) Organizar os cursos e tirocínios que forem superiormente determinados; d) Formar o pessoal do quadro de complemento; e) Colaborar em estudos e experiências, bem como na preparação de regulamentos, manuais e instruções necessárias ao funcionamento do serviço de material ou à instrução dos seus quadros;

f) Cooperar na instrução das armas e outros serviços, quando for determinado. Art. 2.º A Escola Prática do Serviço de Material fica aquartelada em Sacavém, nas actuais instalações do regimento de artilharia pesada n.º 1.

§ único. Durante a fase de organização da Escola Prática do Serviço de Material, esta funcionará adstrita ao regimento de artilharia pesada n.º 1 e dependente dele apenas para efeitos administrativos.

Art. 3.º Para efeitos de instrução, a Escola Prática do Serviço de Material dependerá da Direcção do Serviço de Material.

Art. 4.º Os oficiais e sargentos da Escola Prática do Serviço de Material terão, quanto a alimentação, gratificações e alojamento, as mesmas regalias consideradas nas disposições em vigor para o pessoal que presta serviço em escolas práticas no desempenho de idênticas funções.

Art. 5.º O regulamento e o quadro orgânico da Escola Prática do Serviço de Material constarão de portaria assinada pelo Ministro do Exército, respeitando-se para o efeito os quantitativos fixados na lei de quadras e efectivos.

§ único. Enquanto não for publicada aquela portaria, a Escola Prática do Serviço de Material regular-se-á pelas disposições legais e regulamentares por que se regem as respectivas escolas práticas.

Publique-se e cumpra-se como nele se contém. Paços do Governo da República, 13 de Abril de 1961. – AMÉRICO DEUS RODRIGUES THOMAZ – António de Oliveira Salazar – Pedro Theotónio Pereira – Júlio Carlos Alves Dias Botelho Moniz – Arnaldo Schulz – João de Matos Antunes Varela – António Manuel Pinto Barbosa – Afonso Magalhães de Almeida Fernandes – Fernando Quintanilha Mendonça Dias – Marcello Gonçalves Nunes Duarte Mathias – Eduardo de Arantes e Oliveira – Vasco Lopes Alves – Francisco de Paula Leite Pinto – José do Nascimento Ferreira Dias Júnior – Carlos Gomes da Silva Ribeiro – Henrique Veiga de Macedo – Henrique de Miranda Vasconcelos Martins de Carvalho.

Para ser presente à Assembleia Nacional.

VEJA O VIDEO:

BREVE HISTÓRIA SOBRE O SERVIÇO DE MATERIAL

EPSM

Em 1956 foi criado o Serviço de Material para o Exército e, com ele, a Companhia Divisionária de Manutenção de Material (CDMM) que passou a depender técnicamente da Direcção do Serviço e manteve a dependência operacional do Comando da 3ª Divisão SHAPE. Tinha como missão o apoio técnico em reabastecimento e manutenção ao equipamento distribuído às Unidades Divisionárias, quer sedeadas no Campo Militar de Santa Margarida quer elas constituíssem encargo operacional das Unidades Territoriais. Decorrente de necessidades específicas, foi cometido à CDMM o encargo da instrução com a finalidade de formar Oficiais e Sargentos do QC com a especialidade de Reabastecimento e Praças em todas as especialidades do Serviço de Material.

Com a eclosão da guerra nas ex-Províncias Ultramarinas, a CDMM recebeu o novo encargo de mobilizar e preparar pequenas unidades de apoio para actuarem nos Teatros de Operações então existentes. Terminado o esforço de guerra em consequência do Movimento das Forças Armadas (25 Abril de 1974) e considerando a necessidade de transformar o Exército numa força apta a desempenhar uma nova missão de tempo de paz e compatível com as necessidades nacionais.

Escola Prática do Serviço de Material /Sacavém
Escola Prática do Serviço de Material /Sacavém

Em 21 de Março de 1975 é constituído o Batalhão do Serviço de Material (BSM) por intermédio do Decreto-Lei nº 181/77, herdando as tradições e o património histórico da Companhia Divisionária de Manutenção de Material, que foi extinta em Abril, prosseguindo a missão que a esta estava confiada: Manutenção, Reabastecimento e Instrução.

EPSM no Entroncamento
Escola Prática do Serviço de Material /Entroncamento

Por força do disposto no Decreto-Lei n.º 50/93 de Fevereiro, a Escola Prática do Serviço de Material (Sacavém) transferiu-se para o Entroncamento em 1 de Setembro 1993, passando a ocupar as instalações do BSM, que integra, ficando este na sua dependência administrativo-logística.

No âmbito da última reorganização da estrutura do Exército, no dia 1 de Julho de 2006 é criado nos termos do Despacho do MDN nº 12 555/2006 (2ª série) de 16 de Junho o Regimento de Manutenção (RMan) na sequência da extinção da EPSM e do BSM, de acordo com o Despacho do MDN n.º 12 251/2006 (2ª série) de 12 de Junho. O RMan fica na directa dependência hierárquica e funcional da Direcção de Material e Transportes / Comando da Logística e herda as tradições e o património histórico do Batalhão do Serviço de Material, conforme determinam os despachos do General CEME nº 131/CEME/2006 de 21 de Junho, nº 132/CEME/2006 de 23 de Junho e nº 266/CEME/2006 de 17 de Outubro. Fonte: Exército.pt

Monumento aos Mortos do Serviço de Material(c) - 2012

Encontro BSM/EPSM 28/07/2012
1º Encontro BSM/EPSM – 28/07/2012

http://www.exercito.pt/sites/RMAN/Noticias/Paginas/EncontrodeEx-MilitaresdaAntigaEscolaPr%C3%A1ticadoservi%C3%A7odeMaterial.aspx

GALERIA DE IMAGENS:
PARA UMA MELHOR VISUALIZAÇÃO, ABRA UMA FOTO E ACEDA À GALERIA

Veja mais Fotografias da EPSM na Página do Facebook

Anúncios

3 pensamentos sobre “Escola Prática do Serviço de Material

  1. Fui um dos que frequentei, a Escola Pratica de serviço Material , vind do Castelo Branco dia 27/07/1962 a 22/12/1962 para ir para o Batalhão de Telegrafistas em Sapadores Lisboa

    Gostar

  2. Ingressei na EPSM em Sacavém, no dia 05 de Abril de 1969, vindo da Escola Prática de Cavalaria, para frequentar o Curso de Sargentos Milicianos, na especialidade de Reabastecimentos. Aí prestei serviço já como Cabo Miliciano e Furriel Miliciano, no gabinete de estudos, onde era o responsável administrativo pela elaboração de todos os processos dos militares que do COM e do CSM. Em Julho de 1970, fui transferido para o Centro de Instrução de Condução Auto nº 4 em Coimbra, com a missão de fazer compras no mercado local, de sobressalentes, peças e outros acessórios destinados à manutenção e reparação das centenas de viaturas militares da Região Militar de Coimbra. Tenho gratas recordações dos quase quatro anos em que estive no serviço Militar e guardo um especial carinho pela EPSM.

    Liked by 1 person

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s